Sempre achei fantástica uma sala com cofre. Filmes de suspense, geralmente tem um cofre. Por analogia, penso que há muitos cofres no mundo. Eis que o destino, me levou para uma sala com cofre.

Na vida, há dias tão inusitados… ótimo que existam. A rotina é quebrada. O inusitado é como combustível para seguir em frente com mais persistência, mais segurança. Vivi o inusitado  durante tarefas burocráticas, as quais não pude refutá-las como sempre faço.

Entre cartório e banco; banco e cartório,  mais precisamente três visitas no tal tabelionato na mesma manhã. A propósito, por que algumas palavras não saem de uso, tabelionato é uma. Tabelião em plena era digital ? A palavra tabelionato é também hereditária, como é a dinastia dos cartórios no Brasil.

Nessas idas e vindas com a papelada a ser registrada, desembolsei quantia considerável. Taxas de impostos,  que cidadãos não entendem porque existem, mas entendem que  elas auxiliam na sustentação de um Estado gigante, explorador.

Dia muito frio. Temperatura perto de zero grau.Dia de cusco”ranguear¨, expressão popular do sul, para explicar a presença de geadas . São os dias que mais necessitamos de fazer uso do  banheiro, principalmente  as mulheres.

Numa dessas idas ao banco, solicitei o uso do banheiro. Gentilmente, a gerente que me atendia,  conduziu-me ao  banheiro privativo, por alguma razão não se podia utilizar os sanitários destinados aos clientes.

Eis que ao procurar a saída,  a porta não abriu. Sistema digital. Cadastrados  apenas os funcionários.

E diante do sistema de segurança do banco, não restou outra saída a não ser esperar .

Foi quando meu olhar se deparou com ele.  O cofre. Imponente como deve ser cofre de banco.Estava na sala do cofre.

Por uns instantes , vivi  um personagem de filme policial. Imaginei a montanha de dinheiro depositada ali. Para em seguida , minha memória me avisar que naquele lugar eu não podia estar . Olhei para as câmeras e sorri, sorriso amarelo…

Senti calor. Despi cachecol… Toca… Lembrei do celular, poderia enviar mensagem para a gerente.  Sem bateria. Alternativa abortada.

E o cofre ali. Uma fortuna ali dentro, certamente. Minha imaginação poética apareceu, assim do nada, como sempre se diz, inspiração aparece de repente… Cofres, como existem cofres .Alguns muito bem fechados. Outros nem tanto.Eu mesma, carrego um , nele há muito mais tesouros do que aquele feito de aço e com alta complexidade de segurança.

Minha vida é um tesouro. Tesouro é também essa mania de escrever. Como disse a jovem gerente, o que seria da vida se tudo fosse tão certinho?  Ao abrir a porta  para mim e cair na gargalhada.

O dia ficou mais leve, menos burocrático.

 

 

 

Compartilhe: