Outubro é mês que se comemora o dia das crianças e o dia da professora e do professor.

Outubro rosa. Destinado ao debate sobre a prevenção ao câncer de mama.

Tudo válido.

Porém….vou gritar: – Mercado consumista! Deixe em paz nossas crianças. Deixe em paz nossas professoras e professores. Deixe em paz nossas mulheres.

Meu interlocutor pode estranhar esse posicionamento.

Abaixo a hipocrisia.

O mercado ávido pelo lucro destina sua publicidade enaltecendo as datas. Idealizando um mundo mágico para as crianças e um mundo mascarado para as mulheres.

Homenagens são bem vindas. São merecedoras as crianças , as professoras, os professores. Não pelo mercado  consumista, ávido pelo lucro.

Vou começar a reflexão pelo OUTUBRO ROSA.

Lojas, supermercados, bancos, hospitais, clínicas, prédios públicos  iluminados de cor de rosa … por toda  parte fitinhas cor de rosa, balões cor de rosa  lembram a campanha da prevenção ao câncer de mama. Válido? É.

Só não é válido  para  as mulheres que estão numa fila de espera para realizar  o exame, porque hospitais públicos  tem a demanda maior do que os aparelhos que dispõem para atender mulheres do sistema único de saúde.

Não adianta Outubro Rosa se o financiamento do SUS está ameaçado. A existência do SUS está ameaçada. O atual governo federal já manifestou esse desejo. Já efetivou cancelamento de muitos atendimentos, reduziu outros tantos…

Mas a campanha está válida. Muito válida para as clínicas particulares. Agendas lotadas. Parece que se não se realiza o exame no mês de outubro não haverá novembro. A publicidade cumprindo seu papel. Conscientização? Ou negociação da saúde?

Outubro, mês do professor e da professora. Tribuna de políticos sendo usada para enaltecer o trabalho nobre dos professores brasileiros. Hipocrisia total. Já o mercado, nem lembra da categoria, não há promoção de carros para o dia do professor (hic)

Salários cada vez mais defasados . Parcelados. Término dos planos de carreira. Tentativas de silenciar o pensamento crítico. Trabalhar até morrer pela nova previdência. Uma profissão de risco. Em risco.

Homenagem só se aceita por parte dos estudantes . Recentemente autoridade do MEC prometeu caça aos professores. Isso mesmo caça. Ele deveria ser cassado. Se  a sociedade de fato nos  defendesse não exitaria em pedir sua demissão. Não queremos homenagens . Queremos nossa profissão, roubaram-na. Com ela, nossa dignidade.

Outubro, mês da criança. E o mercado consumista tem ai uma presa fácil.

O noticiário da economia avalia que a data 12 de outubro só perde em volume de vendas apenas para o natal. Os anúncios publicitários apresentam uma infância feliz.

Como na festa natalina, para milhares de crianças brasileiras 12 de outubro é mais uma data para demarcar um lugar nessa sociedade injusta, o lugar da exclusão.

Infelizmente, ÁGATAS não puderam se excluir da linha de tiro dos fuzis .

Senhores da governança deste Brasil, devolvam a infância plena de direitos.

Principalmente o direito de viver.

O direito de uma vida colorida. Rosa. Azul. Amarela. O arco-íris todo .

Por fim, lembro o poema de Bertolt Brechet : NÃO QUEREMOS O PEDAÇO DE PÃO, QUEREMOS O PÃO INTEIRO. NÃO QUEREMOS O REMENDO, QUEREMOS O CASACO..

Roubaram-nos.

Compartilhe: